Lakdkd

(FOLHA) Conselho de Segurança das Nações Unidas define os responsáveis por assegurar os direitos do povo curdo


Irã, Iraque, Turquia e Síria se tornaram oficialmente os responsáveis pelo povo curdo

No fim da tarde deste domingo (13), o comitê discutiu diversas posições acerca da liberdade de expressão do povo curdo. Estavam presentes os representantes da França, de Israel, Venezuela, Rússia, Reino Unido, Turquia, Estados Unidos e Iraque. Em dois dias de sessões, o United Nations Security discutiu diversas questões relacionadas à segurança mundial e principalmente sobre a questão dos povos curdos.


Nas sessões anteriores, os países tiveram diversos conflitos que colocaram em pauta diversos posicionamentos. A França levantou questões sobre gênero, a Índia frequentemente se opunha ao que era discutido, enquanto a Turquia representada por Cezário Diógenes, mantinha sua posição de soberania e acrescentou ainda que limitação da liberdade de expressão do povo curso seria uma forma de evitar uma espécie de ruptura nacional.


O delegado francês Guillaume Mitterrand defende que qualquer seja a solução encontrada para as problemáticas deve ser feita de forma democrática e pensando justamente na qualidade de vida dos curdos. Os países suscitaram ainda a Declaração dos Direitos Humanos que assegura qualquer grupo populacional do mundo a possui plenitude ao se expressar acerca de situações políticas ou de qualquer outra temática. Em entrevista para a Folha, Guillaume comentou sobre a sua visão das últimas sessões.


“Os confrontos eram esperados, pois atualmente França e Turquia apresentam diferenças. As discussões foram acirradas, mas no final a França conseguiu convencer a maioria das delegações a votar a favor de suas resoluções. Incluindo a Rússia. Portanto, a França vê esta sessão do Conselho de Segurança como um sucesso.”, pontuou.


O delegado foi questionado acerca de uma possível manutenção de relações comerciais ou de qualquer natureza com os curdos e garantiu que a França está disposta a colaborar.


“A França está sempre aberta para discutir com outros delegados. No entanto, eles não devem ser provocantes desnecessários, pois isso não adiciona nenhum progresso às conversas. As políticas atuais apresentadas pela delegação turca vão contra os valores fundamentais da França, da União Europeia e até mesmo das Nações Unidas. A economia da Turquia está desmoronando e tem cada vez menos aliados políticos a cada dia. É apenas uma questão de tempo até que os cidadãos da Turquia acordem e digam que já estão fartos do seu regime autoritário e estabeleçam uma democracia saudável que respeite os direitos humanos e o Estado de direito. Só então a Turquia encontrará a grandeza e o respeito que um dia teve.”, declarou.


O United Nations Security Council decidiu por meio de duas Propostas de Resolução que o Irã, Iraque, Turquia e Síria terá o dever de assegurar os curdos em relação aos Direito Humanos. O representante turco ainda propôs a formulação de uma emenda que protegeria sua integridade em possíveis ameaças de independência. França e Israel se opuseram, mas ao fim das discussões, o documento foi aprovado, firmando assim a responsabilidade do país dos turcos quanto ao futuro da movimentação política do Curdistão.